A arquitetura da dominação

Autores

  • José Carlos Calich Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA).

Palavras-chave:

O mal-estar na civilização, Laplanche, Pseudoinconsciente do mito-simbólico, Subjetivação, Desamparo

Resumo

Freud, em O mal-estar da civilização, identificou o sofrimento do indivíduo por estar inserido em um processo civilizatório que inibia e limitava sua expressão pulsional. A virada de 1920 introduziu o tema do desamparo, da centralidade do masoquismo e da pulsão de morte, levando-o a acrescentar o papel protetor da civilização em relação à destrutividade do ser humano para si mesmo e para os outros, alterando a noção do mal-estar. Os desenvolvimentos pós-freudianos foram acrescentando novos elementos, expandindo as possibilidades de compreensão da relação do sujeito com a cultura e os sofrimentos daí advindos. As mudanças decorrentes da organização sociocultural surgidas com a modernidade, principalmente os novos modos de subjetivação e as estratégias de marketing totalizante e criador de desejos, e com a pós-modernidade, a partir de uma cultura do narcisismo e de uma linguagem alienante, introduziram componentes inesperados ao mal-estar. O objetivo do presente trabalho é comentar essa evolução do mal-estar, introduzindo a ideia de um recurso à pulsão de dominação como estratégia narcísica de sobrevivência no contexto referido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Carlos Calich, Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA).

Médico psicanalista. Membro efetivo e analista didata da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA).

Referências

Adichie, C.N. (2014). Sejamos todos feministas. São Paulo: Companhia das Letras.

Birman, J. (2005). O mal-estar na modernidade e a psicanálise: a psicanálise à prova do social.

Physis: Revista de Saúde Coletiva, 15(Suplemento), 203-224.

Calich, J.C. (2003). As assim chamadas patologias atuais. Trabalho apresentado à Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA). Novembro, 2003.

Calich, J.C. (2017). How do we understand intimacy from an intrapsychic model. Painel apresentado no 50th International Psychoanalytical Association Congress(IPAC). Julho, 2017. Hilton Hotel, Buenos Aires.

Calich, J.C. (2019). A atividade tradutiva na Teoria da Sedução Generalizada de Jean Laplanche. Trabalho apresentado à Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA). Março, 2019. Publicado originalmente na Revista Percurso, 58(1), edição on-line, 2017.

Canestri, J. (2004). O conceito de processo analítico e o trabalho de transformação. Revista de Psicanálise da SPPA, 11(2), 331-378. Recuperado de http://revista.sppa.org.br/index.php/RPdaSPPA/article/view/653/660

Debord, G. (1987). A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2007.

Denis, P. (2007). O poder da pulsão. Revista de Psicanálise da SPPA, 14(2), 217-229.

Elias, N.(1969). A Sociedade de Corte: Investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

Freud, S. (1976). Moral sexual civilizada e doença nervosa moderna. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, (Vol. 9). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1908)

Freud, S. (1996). O mal-estar na civilização. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, (Vol. 21). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1930[1929])

Gleick, J. (1987).Caos – a criação de uma nova ciência. São Paulo: Campus, 1989.

Hobbes, T. (2020). Leviatã. Matéria, forma e poder de um estado eclesiástico civil. Petrópolis: Vozes. (Trabalho original publicado em 1651)

Jameson, F. (1992). Pós-modernismo, a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1997.

Laplanche, J. (2003). Três acepções da palavra “inconsciente” no quadro da Teoria da Sedução Generalizada. Revista de Psicanálise da SPPA, 10(3), 403-418

Laplanche, J. (2006). Réponse à José Carlos Calich. Psychiatrie française, 37(3), « Le concept d’inconscient selon Jean Laplanche », p. 34-44.

Maffesoli, M. (1995). The time of the tribes: The Decline of Individualism in Mass Society. London: SAGE Publications.

Prigogine, I. (1996).O fim das certezas. São Paulo: UNESP, 1996.

Smith, C., Attwood, F., McNair, B. (2017). The Routledge companion to media, sex and sexuality. London: Taylor and Francis.

Spencer, H. (1876). The principles of sociology. Gloucester: HardPress. 2018.

Vargas Llosa, M. (2012). A civilização do espetáculo. São Paulo: Objetiva, 2013.

Publicado

2021-04-04

Como Citar

Calich, J. C. (2021). A arquitetura da dominação. Revista De Psicanálise Da SPPA, 28(1), 61–75. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/924

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)