Código de Ética e de Conduta

A Comissão Editorial da Revista de Psicanálise da SPPA acredita que todos agentes envolvidos no processo de publicações científicas devem estar conscientes de suas responsabilidades e da importância que os resultados dos estudos representam para a sociedade.

Nesse sentido, apresentamos a seguir as diretrizes de ética e de conduta para os principais envolvidos nesse processo: autores(as), pareceristas, revisores, editores(as) e conselho editorial.

A Revista de Psicanálise da SPPA sempre buscará aprimorar suas orientações de boas práticas e diretrizes, apoiando-se no Committee on Publication Ethics (COPE) e nas diretrizes de Boas Práticas nos Processos Editoriais da Lilacs-BVS-Salud. Assim, buscamos atingir os mais altos padrões éticos em publicações.

Responsabilidades dos autores

  1. Apresentar, caso haja material clínico, declaração responsabilizando-se pela preservação da confidencialidade profissional e ética, indicando claramente o(s) tipo(s) de precaução adotados. O modelo de declaração encontra-se na primeira página das Normas de Publicação; além deste documento, o autor poderá, se desejar, apresentar consentimento informado assinado pelo paciente;
  2. Apresentar, caso exista, a instituição financiadora da pesquisa, dedicando a ela um espaço nos agradecimentos, e assegurar que o conteúdo apresentado nos textos não tenha influência da instituição financiadora;
  3. Comprometer-se em não falsificar e fabricar dados, bem como se utilizar de pirataria ou plágio na produção de seus textos;
  4. Configurar-se, na condição de autor, em pesquisador ético e responsável pelo conteúdo exposto no material produzido;
  5. Garantir o ineditismo e a originalidade dos textos, inclusive o preprint, submetidos à avaliação;
  6. Identificar de forma clara e correta a autoria de todos que realizaram o estudo e o consequente texto do artigo. Do mesmo modo, indicar as coautorias e suas respectivas colaborações;
  7. Informar possíveis conflitos de interesses que podem vir a ocorrer no momento de submissão do artigo, sejam eles acadêmicos, financeiros, pessoais ou políticos;
  8. Manter-se à disposição para corrigir a literatura, caso necessário;
  9. Não praticar a manipulação de citações, dados e informações no intuito de obter o resultado de pesquisa pretendido no material produzido;
  10. Não utilizar a autocitação em demasia. No mesmo sentido, não utilizar referências específicas que visem à manipulação dos fatores de impacto, bem como o autoplágio;
  11. Verificar a existência de direitos autorais das imagens que possivelmente serão utilizadas na construção do texto, identificando, sempre que utilizadas, suas autorias e fontes.

Responsabilidades dos editores e dos conselhos editoriais

  1. Realizar análise inicial dos artigos submetidos, para verificar a adequação ao escopo do periódico e poupar o tempo dos envolvidos no processo de avaliação: autores e pareceristas;
  2. O editor, a Comissão Editorial e o Conselho Editorial são responsáveis por preservar os aspectos éticos da Revista de Psicanálise da SPPA, resolvendo quaisquer conflitos com brevidade e transparência, com o objetivo maior de manter a credibilidade da revista.

Responsabilidades dos revisores

Os revisores são responsáveis por contribuir para o processo de tomada de decisão e auxiliar na melhoria da qualidade do artigo publicado, revisando o manuscrito objetivamente, em tempo hábil.

  1. Manter a confidencialidade de qualquer informação fornecida pelo editor ou autor. Não reter ou copiar conteúdos do manuscrito;
  2. Estar ciente de quaisquer potenciais conflitos de interesses (financeiros, institucionais, colaborativos ou outros relacionamentos entre o revisor e o autor) e alertar o editor para estes, se necessário, retirando seus serviços para aquele manuscrito.
  3. Alertar o editor para qualquer conteúdo publicado ou enviado que seja substancialmente similar àquele em revisão, sem a adequada citação;

Responsabilidades dos pareceristas

  1. Assegurar a confidencialidade de sua avaliação, garantindo e efetivando a avaliação cega por pares;
  2. Avaliar os artigos com neutralidade e rigor acadêmicos;
  3. Exercer a função de parecerista como voluntário, consciente da importância de sua colaboração ao periódico e à ciência;
  4. Informar aos editores quando não se sentir confortável para avaliar um artigo devido ao distanciamento temático do texto de sua área de estudo;
  5. Informar possíveis conflitos de interesses que podem vir a ocorrer no momento de avaliação de um artigo, sejam eles acadêmicos, financeiros, pessoais ou políticos, e declinar da avaliação;
  6. Não fazer qualquer uso do material que não a de uma leitura estritamente referente à avaliação;
  7. Não induzir, em seus respectivos pareceres, que os autores citem textos de autoria dos pareceristas avaliadores;
  8. Não tirar proveito, em hipótese alguma, da função de avaliador;
  9. Realizar críticas construtivas voltadas, especificamente, para o texto e conteúdo dos artigos;
  10. Ter consciência de que a figura do parecerista e sua prática de revisão cega por pares são os pontos-chaves para avaliação da qualidade de conteúdo do periódico.

Este código de ética e conduta foi elaborado para conscientizar a integridade das publicações de periódicos científicos. Demais questões que não foram aqui apresentadas serão verificadas pela Diretoria de Publicações da SPPA.