O conceito de introjeção e sua evolução na teoria de Ferenczi

Autores

  • Luis Jorge Martín Cabré Associação Psicanalítica de Madri (APM)

Palavras-chave:

Introjeção, Intropressão, Trauma, Identificação com o agressor, Introjeção do sentimento de culpa

Resumo

Para Ferenczi, em grande sintonia com o pensamento de Freud, a introjeção foi inicialmente um conceito fundamental no desenvolvimento psíquico da criança e indispensável para diferenciar o funcionamento neurótico de outras patologias. Além disso era uma noção essencial para teorizar a dinâmica transferencial na relação analítica. No entanto, ao final de sua obra, ao reavaliar a importância do trauma, da confusão de línguas entre o adulto e a criança e entre o analista e o paciente, ao conceitualizar as noções de identificação com o agressor e de introjeção do sentimento de culpa nas síndromes pós-traumáticas e, principalmente, ao sublinhar a importância decisiva que adquire a negação e a cisão do ego na dinâmica do trauma, Ferenczi modifica e enriquece enormemente sua primeira contribuição. Justamente sua última contribuição à psicanálise, refletida nas derradeiras notas do Diário clínico, é um neologismo interessante que Ferenczi define como intropressão, consistindo na tentativa de conjugar a introjeção com os efeitos violentos suscitados na mente da criança em decorrência da irrupção inesperada do superego parental e dos adultos em geral. Esta dinâmica, além disso, lamentavelmente não deixa de estar presente em algumas modalidades patológicas da relação analítica. Esta última concepção de Ferenczi foi continuada e completada de maneira brilhante por Abraham e Torok em seu conceito do crime da introjeção, a que se dedica a última parte do presente trabalho (AU)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Jorge Martín Cabré, Associação Psicanalítica de Madri (APM)

Psicanalista, membro titular em função didática da Associação Psicanalítica de Madri (APM). Analista de crianças e adolescentes

Referências

Abraham, K. (1924). Tentativo di una storia evolutiva della libido sulla base della psicoanalisi dei disturbi psichici. Opere, vol. I, Torino: Boringhieri, 1975.

Abraham, N., & Torok, M. (1978). L’Écorce et le Noyau. Paris : Aubier-Flammarion (2e édition, Flammarion, 1987; 3e édition, Points Flammarion, 1996).

Balint, M. (1968). La falta básica. Buenos Aires: Paidós, 1982.

Enriquez, M. (1984). Aux carrefours de la haine. Paris: Épi.

Ferenczi, S. (1909). Transferencia e introyección. En Obras completas, Tomo I, Madrid: Espasa-Calpe, 1981.

Ferenczi, S. (1912). El concepto de introyección. En Obras completas, Tomo I, Madrid: Espasa-Calpe, 1981.

Ferenczi, S. (1913). Fe, incredulidad y convicción desde el punto de vista de la psicología médica. En Obras completas, Tomo II, Madrid: Espasa-Calpe, 1981.

Ferenczi, S. (1924). Perspectivas en psicoanálisis. En Obras completas, Tomo III, Madrid: Espasa-Calpe, 1981.

Ferenczi, S. (1928). La adaptación de la familia al niño. En Obras completas, Tomo IV, Madrid: Espasa-Calpe, 1981.

Ferenczi, S. (1932). Diario clínico. Amorrortu, Buenos Aires, 1997.

Ferenczi, S. (1932). Notas y fragmentos. En Obras completas, Tomo IV, Madrid: Espasa-Calpe, 1984.

Ferenczi, S. (1933). Confusión de lenguas entre los adultos y el niño. En Obras completas, Tomo IV, Madrid: Espasa-Calpe, 1984.

Freud, A. (1936). L’Io e i meccanismi di difesa. Opere, Vol. I. Torino: Boringhieri, 1978.

Freud, S. (1900). Interpretación de los sueños. En Obras completas, Vol. IV. Buenos Aires: Amorrortu, 1979.

Freud, S. (1905). Tres ensayos de teoría sexual. En Obras completas, Vol. VII. Buenos Aires: Amorrortu, 1990.

Freud, S. (1915). Pulsiones y destinos de pulsión. En Obras completas, Vol. XIV. Buenos Aires: Amorrortu, 1990.

Freud, S. (1917). Duelo y melancolía. En Obras completas, Vol. XIV. Buenos Aires: Amorrortu, 1990.

Freud, S. (1920). Sobre la psicogénesis de un caso de homosexualidad femenina. En Obras completas, Vol. XVIII. Buenos Aires: Amorrortu.

Freud, S. (1985). Estudios sobre la histeria (1893-1895). En Obras completas, Vol. II. Buenos Aires : Amorrortu, 1992.

Garon, J. (1993). Le transplant étranger, un écart qui estrange. Trans, 2 : 127-137.

Green, A. (1983). Narcisismo di vita, narcisismo di morte. Roma: Borla, 1985.

Laplanche, J. (1990). Implantation, intromission. Psychanalyse á l’Université, 15 (60).

Nunberg, H. y Federn, E. (1962). Dibattiti della Società Psicoanalitica di Vienna 1906-1908. Torino: Boringhieri, 1973.

Downloads

Publicado

2020-02-20

Como Citar

Martín Cabré, L. J. (2020). O conceito de introjeção e sua evolução na teoria de Ferenczi. Revista De Psicanálise Da SPPA, 26(3), 587–601. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/472