Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

A escrita como desafio no percurso do observador pelo método Bick de observação de bebês

Nara Amália Caron, Rita de Cássia Sobreira Lopes, Denise Steibel, Tagma Schneider Donelli

Resumo


Este trabalho discute alguns desafios no percurso do observador ao longo dos três momentos do método Bick de observação (observação, relato da observação e supervisão em grupo), com ênfase especial na escrita. Um dos maiores desafios da escrita, neste contexto, é o de transmitir uma experiência que foi vivida predominantemente de forma sensorial e solitária. Neste contexto, o observador se vê exposto a uma série de sensações que emergem novamente no momento do relato, as quais são compartilhadas com o grupo de supervisão. Cabe ressaltar que o desafio da escrita se interpõe, no método Bick, durante todo o percurso do observador e é especialmente inquietante quando essa escrita se faz necessária para publicação.

Palavras-chave: escrita, método Bick, relato escrito, comunicação primitiva.


Palavras-chave


escrita, método Bick, relato escrito, comunicação primitiva.

Texto completo:

PDF

Referências


Bick, E. (1964). Notes on infant observation in psychoanalytic training. International Journal of Psychoanalysis, 45: 558-566.

Bick, E. (1968). The experience of the skin in early object relations. International Journal of Psychoanalysis, 49: 484-486.

Borgogno, F. (1999). Psicanálise como percurso (M. Rossi, trad.). Rio de Janeiro: Imago, 2004.

Caron, N. (Org.) (2000). A relação país-bebê: da observação à clínica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 357 p.

Caron, N. A. & Fonseca, M. (2011). A presença de irmãos no exame de ultrassonografia pré-natal. Revista de Psicanálise da SPPA, 18(2): 417-442.

Caron, N. A., & Lopes, R. C. S. (2014). Aprendendo com as mães e os bebês sobre a natureza humana e a técnica analítica. Porto Alegre: Dublinense.

Caron, N. A., Fonseca, M. & Lopes, R. C. S. (2008). The baby and his majesties: some considerations on human helplessness. The International Journal of Infant Observation and its Applications. 11(1): 67-75.

Caron, N. A., Fonseca, M. M. & Kompinsky, E. (2000). Aplicação da observação na ultrassonografia obstétrica. In N. A. Caron (Ed.). A relação pais bebê: da observação à clínica (pp. 178-206), São Paulo: Casa do Psicólogo.

Caron, N. A., Lopes, R. C. S. & Donelli, T. S. (2013). A place where verbalization has no meaning. Infant Observation, 16(2): 170-182.

Caron, N., Matte, L., Cardoso, M., Lopes, R. C. S., & Dalcin, V. (2000). Vivenciando a violência sutil: O impacto emocional no observador da relação mãe-bebê (pp. 45-59). In N. A. Caron. (Org.). Relação pais-bebê: Da observação à clinica. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Caron, N.A. & Lopes, R.C.S, (2015). When the internal setting becomes more important than the therapist/analyst’s interpretative capacity: extending the infant observation method to the prenatal and perinatal period. Infant Observation, 18(1): 83-95.

Caron, N.A. & Maltz, R.S. (1994). Intervenções em grávidas com anomalias congênitas. Revista de psiquiatria do Rio Grande do Sul, 16(3): 202-207.

Donelli, T. M. S. (2008). Descortinando a vivência emocional de mulheres em um Centro Obstétrico: uma investigação sobre o parto através da aplicação do Método Bick. Tese de Doutorado não publicada. Programa de Pós-graduação em Psicologia, Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil.

Donelli, T.S.; Caron, N. A. & Lopes, R. C. S. (2012). A experiência materna do parto: confronto de desamparos. Revista de Psicanálise da SPPA, 19 (2): 395-414.

Faimberg, H. (2010). Método “a escuta da escuta”. Revista Brasileira de Psicanálise, 44 (3), p.33-41.

Freud, S. (1905). Fragmento da análise de um caso de histeria. In Edição standard brasileira de obras completas de Sigmund Freud. (J. Salomão, trad., Vol. 7, pp.1-109), Rio de Janeiro: Imago, 1972.

Freud, S. (1912). Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. In Edição Standard Brasileira das Obras Psicanalíticas Completas de Sigmund Freud, (J. Salomão, trad., Vol. 12, pp. 146-159), Rio de Janeiro: Imago, 1969.

Freud, S. (1914). A história do movimento psicanalítico. In Edição standard brasileira de obras completas de Sigmund Freud. (J. Salomão, trad., Vol. 14, pp.12-82), Rio de Janeiro: Imago, 1969.

Freud, S. (1919). O estranho. In: Edição standard brasileira de obras completas de Sigmund Freud. (J. Salomão, trad., Vol. 17, pp.271-314), Rio de Janeiro: Imago, 1969.

Litvan, M. A. (2007). Infant Observation: A range of questions and challenges for contemporary psychoanalysis. International Journal of Psychoanalysis, 88: 713-733.

Moreira, C. I., Gerhardt, C., Steibel, D., Silveira, F., Caron, N. A., & Lopes, R. C. S. (2011). A impossível tarefa de segurar o sol com a mão. Revista de Psicanálise da SPPA, 18(2): 237-254.

Ogden, T. (2002). Lendo Winnicott. Revista Brasileira de Psicanálise, 4(36): 698-718.

Steibel, D. (2011). As vivências primitivas de um bebê nascido extremamente prematuro no ambiente da UTI neonatal: uma aplicação do Método Bick de observação. Dissertação de Mestrado não publicada. Programa de Pós-graduação em Psicologia, Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Brasil.

Steibel, D., Caron, N. A., & Lopes, R. S. (2014). An observer's intense and challenging journey observing the short life of an extremely premature baby in Neonatal Intensive Care. Infant Observation, 17,3, 233-247. doi:10.1080/13698036.2014.975544

Winnicott, D.W. (1969). Comunicação e falta de comunicação levando ao estudo de certos opostos. In D.W. Winnicott. O ambiente e os processos de maturação. (I. C. S. Ortiz, trad., pp. 163-174). Porto Alegre: Artes Médicas (Trabalho original publicado em 1963).Winnicott, D.W. (1994). A experiência mãe-bebê de mutualidade. In D.W. Winnicott. Explorações psicanalíticas (J.O.A. Abreu, trad., pp. 195-202). Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v23i1.225

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br