Editorial

Autores

  • Zelig Libermann Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre / International Psychoanalytical Association

Resumo

Há alguns anos, a Revista de Psicanálise da SPPA fez uma mudança em sua política editorial. Desde 2003, a cada volume, um número tem sido dedicado a um assunto específico. No vocabulário interno do Conselho Editorial, são os n um eras temáticos.

Sempre que publicamos um número temático, sentimos satisfação por oferecer uma coletânea de artigos sobre um assunto específico, que acreditamos despertará o interesse de nossos leitores. Em seguida vem a preocupação, uma vez que é preciso escolher o objeto de estudo para a próxima publicação temática.

E essa não é uma tarefa fácil. Diante da amplitude da psicanálise, dos diferentes desenvolvimentos ao longo de sua história, inúmeros temas foram estudados e uma infinidade de trabalhos publicados. No entanto, como definiu Freud em dezembro de 1896, na famosa Carta 52 enviada a Flíess, o psiquismo não se organiza de uma vez só. Periodicamente o material pre-existente (as marcas da memória) passa por um reordenamento, uma retranscrição, segundo novas lógicas.

Tendo em vista a questão do reordenamento, após debatermos em nossas reuniões do Conselho Editorial, optamos por um tema sempre presente em psicanálise: O Consciente.

Desde que Freud lançou a teoria do aparelho psíquico contida na primeira tópica, o campo da psicanálise esteve predominantemente marcado pelo estudo do inconsciente. A consciência, de um modo geral, foi considerada não mais que urn estado descritivo dos conteúdos mentais. No entanto, Freud, em algumas oportunidades ao longo de sua obra, refere-se ao sistema percepção-consciência e delineia algumas de suas funções.

A esse respeito, André Green, autor contemporâneo que mantém forte ligação com a psicanálise clássica e que, ao mesmo tempo, contribuí enormemente para retranscrições da teoria psicanalítica, considera que a consciência é a noção de referência da primeira teoria de Freud sobre o funcionamento mental.

Portanto, nesta edição procuramos trazer aos nossos leitores abordagens atuais da psicanálise e de outras áreas do conhecimento sobre o Consciente.

Cabe salientar, ainda, que esse número da Revista teve outro aspecto importante. Para a elaboração ligada ao consciente, contamos com o auxílio prestimoso do Dr. Antonio Alberto Semi, psicanalista, membro da Sociedade Italiana de Psicanálise, autor do livro The conscious in psychoanalysis, editado pela International Psycboanalytical Association. Gostaríamos de agradecer imensamente ao Dr. Semi, que mostrou disponibilidade, não só pela sugestão de tópicos e de nomes de psicanalistas que poderiam contribuir com o tema, como também através do artigo Crise do sistema C no indivíduo contemporâneo?

Além do texto do Dr. Semi, contamos com os trabalhos Freud e o sistema percepção-consciência (Wahmehmungssystem) de autoria do Dr, Joel Bernat, psicanalista, membro da Associação Psicanalítica Francesa; 1Consciência V um olhar complexo, escrito pelo Dr. Luiz E. Pellanda, psicanalista, membro-eletivo da SPPA e O consciente, a consciência e as memórias - um passeio consiliente entre a psicanálise. as neurociências e a filosofia da mente, uma colaboração do Dr. Maurício Marx e Silva, membro-aspirante da SPPA.

Mas essa edição da Revista tem outra secção que poderíamos considerar um reordenamento de material pré-existente, Re firo-me aos textos do Dr. Lu is Jorge Martin Cabré, psicanalista, membro da Sociedade Psicanalítica de Madrid, cujo conjunto de atividades junto a nossa Sociedade nos inspira a publicação de seus trabalhos.

O Dr. Martin Cabré' dedica-se intensamente ao estudo da obra de Sandór Ferenczi e, em seus textos A vontade de morrer Necjoco quidem mentiretur, O Legado de Ferenczi na obra de. Winnicott e A contribuição de Ferenczi para o conceito de contratransferència, aborda a presença do legado de um dos pioneiros da psicanálise na teoria psicanalítica contemporânea. Contribuindo para a riqueza dessa secção, publicamos um comentário elaborado pelas colegas da SPPA Patrícia Fabrícío Lago, Lucia Th ale r e Clarice Kowacs sobre o trabalho em que Martin Cabré mostra a presença das ideias de Ferenczi no conceito de contratransferência.

Depois do Consciente e da obra de Sandór Ferenczi, na secção de Entrevistas, trazemos não propriamente uma retranscrição, mas o que talvez pudéssemos denominar uma inscrição, pois nosso entrevistado é Charles Hanly, Presidente eleito da ÍPA, cuja posse esta marcada para julho de 2009, durante o 46° Congresso Internacional de Psicanálise em Chicago.

Finalizando esse número, publicamos duas resenhas. Nossa colega Maria Regina Limeira Ortiz, membro-assoeiado da SPPA, colabora com a resenha do livro The conscious in Psychoanalysis de autoria de nosso colaborador Dr. Alberto Semi. Carmem Keidan, membro-assoeiado da SPPA, apresenta o livro Linking, alliances, anda sharespace: Groups and the psychoanalyst de autoria de René Kaes.

Com a publicação de textos abordando o Consciente, de artigos sobre a obra de Sándor Ferenczi e da entrevista com o próximo Presidente da ÍPA, podemos considerar que este número da Revista é um exempio do modo de funcionamento do aparelho psíquico, isto é, vários tempos convivendo ao mesmo tempo.

Desejo uma boa leitura a todos.

Zelig Libermann
Editor da Revista de Psicanálise da SPPA

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-04

Como Citar

Libermann, Z. (2017). Editorial. Revista De Psicanálise Da SPPA, 15(3), 379. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/295

Edição

Seção

Editorial