Impactos que geram impasse frente à vulnerabilidade psicossocial

Autores

  • Alice Becker Lewkowicz Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)
  • Alida Vitória Álvares Fuhrmeister Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)
  • Denise Vivian Lahude Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)
  • Josênia Heck Munhoz Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)
  • Leonor d'Avila Brandão Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)
  • Suzana Deppermann Fortes Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Palavras-chave:

desamparo, violência, impasse

Resumo

O artigo utiliza o mito de Sísifo para ilustrar o trabalho que um grupo de psicanalistas da SPPA realiza desde 2006 em parceria com a SMED (Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura Municipal de Porto Alegre) e, a partir de 2013, com o Projeto Pescar/POA. Apresenta uma contextualização e relato de ambas as experiências através de vinhetas. Salienta que este trabalho, fora dos consultórios, desperta muitas inquietações e sentimentos de impotência. Obriga-nos a sair da posição do saber até a de sentir o desamparo frente à extrema violência. A banalização da violência tenderia a prejudicar nossa escuta? Primo Levi (1988) e Boris Cyrulnik (2009), que sobreviveram aos campos de concentração, nos ensinam a importância da palavra para dar um sentido possível ao sem sentido; destacam a possibilidade de mudar o sentimento íntimo de uma pessoa a partir do relato de suas experiências. Nos grupos de adolescentes, nos encontros com as famílias do Projeto Pescar e nas rodas de conversa com educadores e assessores da SMED, tentamos criar um espaço transicional que favoreça a criação de metáforas possíveis que ampliem a capacidade dos sujeitos de dar conta de seus impasses (Botbol, 2013).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Azevedo, A. L. (Dir.) (2010). Antes que o mundo acabe. [Filme]. Porto Alegre: Casa de Cinema de Porto Alegre.

Bion, W. (1965). As transformações: a mudança do aprender para o crescer. Rio de Janeiro: Imago 1991.

Botbol, M. (2013). Psicopatologia da violência de adolescentes difíceis: no âmago de situações iniciadas precocemente. Revista da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Porto Alegre, 15(1): 23-37.

Camus, A. (2010). O mito de Sísifo. Rio de Janeiro: BestBolso, 2010.

Cyrulnik, B. (2009) Autobiografia de um espantalho. Histórias de resiliência: o retorno à vida. São Paulo: Martins Fontes.

Dolto, F. (2015). A imagem inconsciente do corpo [tradução Noemi Moritz e Marise Levy]. São Paulo: Perspectiva, 2015.

Franco Filho, O. M. (1994). Mudança psíquica do analista: da neutralidade à transformação. Revista Brasileira de Psicanálise, 28 (2), 309-327.

Google Imagens (2016). O mito do Sísifo. [Blog Ricardo André]. Recuperado de http://www.ricardoandre.com.br/2016/07/14/o-mito-de-sisifo/

Levi, P. (1988). É isto um homem? Rio de Janeiro: Rocco.

Maciel, L. C. (1959). Samuel Becket e a solidão humana. Cadernos do Rio Grande, 9. Porto Alegre: Instituto Estadual do Livro.

Saramago, J. (1995). Ensaio sobre a cegueira. São Paulo: Companhia das Letras.

Winnicott, D.W. (1975). O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago.

Publicado

2017-08-04

Como Citar

Lewkowicz, A. B., Fuhrmeister, A. V. Álvares, Lahude, D. V., Munhoz, J. H., Brandão, L. d’Avila, & Fortes, S. D. (2017). Impactos que geram impasse frente à vulnerabilidade psicossocial. Revista De Psicanálise Da SPPA, 24(2), 327. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/283

Edição

Seção

Simpósio

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)