O discurso do desejo na psicanálise de crianças e adolescentes

Autores

  • Maria Elisabeth Cimenti Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Palavras-chave:

Psicanálise infantil, O brincar, Experiência especular, Adolescência

Resumo

Este trabalho aborda a questão do discurso do desejo na psicanálise e tenta demarcar a sua posição no trabalho com crianças e adolescentes. Define a criança como um ser inserido no universo da linguagem desde o nascimento e o brincar como uma forma de discurso sustentado pela palavra. Relaciona o brincar com o lugar onde poderá aparecer o desejo e onde, semelhante ao sonhar, este poderá vir a ser interpretado de acordo com a história de cada sujeito. Apresenta situações na qual o brincar fica impossibilitado devido a uma falha na estruturação do imaginário. A partir daí, reafirma a importância da experiência especular para a criança e para o adolescente, que se encontra em um período no qual o reordenamento da imagem corporal e do próprio imaginário levam ao reposicionamento do lugar do desejo (AU)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Elisabeth Cimenti, Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Membro efetivo, analista de criança e adolescentes e analista didata da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Referências

DOLTO, F. & NASIO, J. (1991). A criança do espelho. Porto Alegre: Artes Médicas.

DUARTE, I. (2005). Brincar é coisa séria. Curso Ministrado no XX Congresso Brasileiro de

Psicanálise. Brasília-DF.

ELIACHEFF, C. (1995). Corpos que gritam. São Paulo: Ática

FREUD, S (1909). Análise de uma fobia em um menino de cinco anos. In: Edição Standard

Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud. v. 14. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p.13-154.

. (1914). Sobre o narcisismo: uma introdução. In: . Edição Standard Brasileira das

Obras Completas de Sigmund Freud. v. 14. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 85-119.

. (1918). História de uma neurose infantil. In: . Edição Standard Brasileira das

Obras Completas de Sigmund Freud. v. 17. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p 13-153.

LACAN, J. (1949). Escritos. Rio de Janeiro:Zahar, 1998.

. (1954). Os escritos técnicos de Freud. In: . O lobo, o lobo. O Seminário. Livro 1.

Rio de Janeiro: Zahar, 1996, p.107-127.

. (1954). Os escritos técnicos de Freud. In: . Sobre o narcisismo. O Seminário. Livro

Rio de janeiro: Zahar, 1996., p. 121-139.

. (1958). As formações do inconsciente. In: . Os três tempos do Édipo. O Seminário.

Livro 5. Rio de Janeiro: Zahar, 1999, p. 185-203.

MANNONI, M. (1987). A criança, sua doença e o outro. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

PEÑA, E. P. (1991). La teoria analítica desde Freud a Lacan. Revista de Psicoanálisis de la APA.

v 48, n 3, p. 437-453.

PENOT, B. (2005). A paixão do sujeito freudiano. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

RASSIAL, J-J. (1999). O adolescente e o psicanalista. Rio de Janeiro: Companhia de Freud.

WINNICOTT, D. (1945). Desenvolvimento emocional primitivo. In: Da pediatria à psicanálise.

Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978, p. 269-286.

Publicado

2020-11-10

Como Citar

Cimenti, M. E. (2020). O discurso do desejo na psicanálise de crianças e adolescentes. Revista De Psicanálise Da SPPA, 16(2), 235–246. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/727