Psicanálise e sexualidade hoje: debate

Autores

  • Florence Guignard Sociedade Psicanalítica de Paris (SPP)
  • Paulo Henrique Favalli Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Palavras-chave:

Psicanálise, Sexualidade, Freud, Desenvolvimento pulsional, Pulsões epistemofílicas, Hiperatividade, Período de latência

Resumo

Como parte da comemoração dos cem anos dos Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, a Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA) promoveu o debate Psicanálise e sexualidade hoje, com Florence Guignard. Nela, a psicanalista francesa, cujo modelo de genealogia das pulsões foi criado a partir do texto de Freud de 1924 sobre o princípio econômico do masoquismo, desenvolve suas idéias acerca do tema. Localizando as pulsões sexuais na base de todo o desenvolvimento pulsional ulterior, considera a psicanálise como um dos destinos da sexualidade. Relaciona as mudanças atuais nas manifestações da sexualidade com as mudanças na própria sociedade, ressaltando sua constatação da abolição do período de latência nas crianças de distintas classes sociais. Conclui que, em função disso, ocorrem modificações no próprio eixo da neurose infantil, com comprometimento da formação do superego e, conseqüentemente, do ideal do ego. A partir daí, explica o prejuízo ao desenvolvimento das pulsões epistemofílicas, correlacionando-o ao aumento de síndromes de hiperatividade. Paulo H. Favalli, em seu comentário, lança diversas questões: como lidar com o vazio, a ausência da demanda pulsional, a incapacidade de representação e o fracasso da simbolização? É possível a existência de uma teoria unificada da sexualidade que sustente  o fazer psicanalítico? E, por último, a pergunta que todos fazemos de diferentes modos: que caminho deverá trilhar a psicanálise para que o reencontro com Eros – e sua própria sobrevivência – seja possível?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Florence Guignard, Sociedade Psicanalítica de Paris (SPP)

Membro da Sociedade Psicanalítica de Paris (SPP).

Paulo Henrique Favalli, Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Membro Efetivo da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Referências

FREUD, S. (1905). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 7. Rio de Janeiro: Imago, 1972, 123-250.

______. (1924). Le problème économique du masochisme. In: ______. Névrose, psychose et perversion. Paris: P.U.F., 1973, p.289-290.

GREEN, A. (1995). Sexualidade tem algo a ver com a psicanálise? In: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICANÁLISE. Livro anual de psicanálise. São Paulo: Escuta, 1995, p. 217-229. v. 11.

GUIGNARD, F. (1997). O infantil ao vivo: reflexões sobre a situação analítica. Rio de Janeiro: Imago, 1997.

______. (2002). Cartas ao objeto. Rio de Janeiro: Imago, 2002.

______. (2005). Psicanálise e sexualidade hoje. Rev. Psican. SPPA. v. 12, n. 2, p. 237-246.

MELTZER, D. (1978). O desenvolvimento kleiniano: desenvolvimento clínico de Freud. São Paulo: Escuta, 1989. v. 1.

MENEZES, L.C. (2004). Sexualidade e pós-modernidade. Rev. Psican. SPPA. v. 11, n. 1, p. 79-86.

Como Citar

Guignard, F., & Favalli, P. H. (2017). Psicanálise e sexualidade hoje: debate. Revista De Psicanálise Da SPPA, 12(2), 247–261. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/901

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>