Momentos de des-existir e espaços vazios de des-existência

Autores

  • Carlos Gari Faria Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Palavras-chave:

Pulsão de vida, Pulsão de morte, Investidura, Desinvestidura, Vazios de representação, Hiatos na comunicação

Resumo

A utilização do conceito des-existir, usado por mim neste e em outros trabalhos, resulta de uma necessidade de nomear e delimitar situações em geral transitórias limitadas à esfera psíquica. Diferencia-se do conceito de matar, verbo ativo que implica na ação de um sujeito, seja em termos físicos ou metafóricos. Assim como diferencia-se também do conceito de morrer, ligado a algo mais definitivo em termos naturais ou figurados. Des-existir refere-se a uma situação momentânea, temporária e às vezes prolongada, em que o sujeito entra em processo de falência como sujeito psíquico por desinvestimento. Pode ser des-existido em diferentes graus de apagamento em um espectro que se estende entre a situação ativa de sujeito e a condição passiva de objeto da pulsão de morte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Gari Faria, Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Membro efetivo e analista didata da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA).

Referências

Faria, C.G. (1998). Sexualidade e estrutura psíquica. Revista de Psicanálise da SPPA, 5(2), 239-246.

Faria, C.G. (2005). Uma breve introdução à discussão sobre trauma. Revista de Psicanálise da SPPA, 12(1), 43-50.

Faria, C.G. (2012). Sobre a possibilidade ou a impossibilidade para ser e usufruir entre existir e des-existir. In 29º Congresso Latinoamericano de Psicanálise – FEPAL, São Paulo.

Freud, S. (1974). Sobre o narcisismo: uma introdução. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas (Vol. 14, pp. 85-119). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho publicado originalmente em 1914)

Freud, S. (1976a). Luto e melancolia. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 14, 243-263). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho publicado originalmente em 1915)

Freud, S. (1976b). Além do princípio do prazer. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 18, 12-85). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho publicado originalmente em 1920)

Freud, S. (1976c). O Ego e o Id. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 19, pp.13-83). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1923)

Green, A. (1980). A mãe morta. In Narcisismo de vida e narcisismo de morte (pp. 239-273). São Paulo: Escuta, 1988.

Green, A. (1988). Narcisismo de vida e narcisismo de morte. São Paulo: Escuta.

Green, A. (2010). O trabalho do negativo. Porto Alegre: Artmed.

Publicado

2021-04-04

Como Citar

Faria, C. G. (2021). Momentos de des-existir e espaços vazios de des-existência. Revista De Psicanálise Da SPPA, 28(1), 93–101. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/806