A presença da ausência do pai no desenvolvimento “rumo à independência”

Autores

  • Eneida Iankilevich Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Palavras-chave:

Pai, Desenvolvimento, Construção de identidade, Diferenciação, Winnicott

Resumo

Uma vivência clínica remete a um conceito teórico de Winnicott que dá significado a esta vivência e esclarece o conceito. É desta experiência que trata o presente trabalho. O encontro analítico com pacientes homens fez a autora pensar na importância do pai para os filhos ao longo da vida. Não apenas o pai real, ou o pai edípico que se desdobra no pai superegóico, ou o pai como figura de identificação, mas a relação com o pai em todas as suas dimensões, fator de construção da identidade. Sem desconsiderar ser esta relação essencial para filhos e filhas, a autora reflete sobre a relação dos filhos homens com os pais, a partir do trabalho com analisandos que não contaram com a possibilidade de crescer tendo os pais presentes. Estas experiências psicanalíticas evidenciaram a importância de tornar-se adulto junto ao pai que envelhece. Este acompanhar-se na vida leva a questionar o mito infantil de pai, modificando a identificação com este mito infantil como ideal de si mesmo. A oportunidade de reconhecer o pai como um indivíduo que constrói sua história, o reconhecimento de estar construindo uma outra história, própria, possibilita ao filho –e ao pai- o compartilhamento de vivências em uma relação mais realista ao longo da vida. Isto humaniza esta relação, interna e externa, tornando possível usufruir da amizade oriunda da rivalidade masculina, de que fala Winnicott. A conquista da independência que possibilita esta amizade é acontecimento de toda a vida, como ensina este autor e as reflexões a partir das vivências clínicas aqui esboçadas (AU)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eneida Iankilevich, Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

Médica psiquiatra da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Psicanalista da infância e adolescência e membro efetivo em funções didáticas da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA).

Referências

Canestri, J., Bohleber, W., Denis, P., Fonagy, P. (2006). The map of private (implicit, preconscious) theories in clinical practice. In J. Canestri (Ed.), Psychoanalysis. From practice to theory (pp. 29-43). Londres: Wiley. Whurr Series in Psychoanalysis.

Etchegoyen, R. (1987). Fundamentos da técnica psicanalítica. Porto Alegre: Artes Médicas.

Faimberg, H. (2013). The “as-yet situation” in Winnicott’s “fragment of an analysis”: your father “never did you the honor of”...yet. Psychoanal. Q., 82(4), 849-875. doi: 10.1002/j.2167-4086.2013.00062.x

Freud, S. (2014). O humor. In Obras completas – Inibição, sintoma e angústia. O futuro de uma ilusão e outros textos (Vol. 17 - 1926-1929). São Paulo: Companhia das Letras. (Trabalho original publicado em 1927)

Mezan, R. (2014). O tronco e os ramos: estudos da história da psicanálise. São Paulo: Companhia das Letras.

Moraes, V., & Powell, B. (1962). Samba da benção [música]. http://www.viniciusdemoraes.com.br/pt-br/musica/cancoes/samba-da-bencao

Ogden, T.H. (2009). Rediscovering psychoanalysis: thinking and dreaming, learning and forgetting. London/ New York: Routledge.

Rosa, C.D. (2009). O papel do pai no processo de amadurecimento em Winnicott. Natureza Humana, 11(2), 55-96. Recuperado de < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-24302009000200003 >.

Winnicott, D.W. (1982). Teoria do relacionamento paterno-infantil. In O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional (I. C. S. Ortiz, Trans.). Porto Alegre: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1960)

Winnicott, D.W. (1983). A integração do ego no desenvolvimento da criança. In O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional (I. C. S. Ortiz, Trans.). Porto Alegre: Artes Médicas. (Trabalho original publicado em 1965 [1962])

Publicado

2020-09-18

Como Citar

Iankilevich, E. (2020). A presença da ausência do pai no desenvolvimento “rumo à independência”. Revista De Psicanálise Da SPPA, 27(2), 333–347. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/621

Edição

Seção

Artigos