As duas vias do desamparo: uma contribuição clínica

Autores

  • Maria Olympia Ferreira França Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP)

Palavras-chave:

Condição e situação de desamparo, Angústia originária, O viver fora de si, Timming da comunicação

Resumo

A autora faz reflexões a partir de fragmentos clínicos que apontam para o desamparo humano, seja em sua condição básica unida à angústia originária (Urangst) referida por Freud, seja em situações posteriores de experiências circunstanciais de desamparo nas quais de alguma maneira já estão presentes sinais de angústia. Faz menção à característica de viver fora de si como algo proveniente de uma maternagem insuficiente à instalação do conflito psíquico. Levando em conta a dupla via transferencial, discorre sobre as dificuldades de abordagem com esses pacientes, exemplificando-as clinicamente. Faz referência aos sinais inconscientes de ansiedade que transparecem em suas falas, mesmo quando impedidos de se aproximarem de suas angústias primitivas. Sugere que estes sinais serão os pontos de partida para o conhecimento da experiência emocional presente na situação analítica. Procura mostrar que a condução exitosa dessas análises se alicerça na condição de paciência do analista, assim como em sua capacidade de percepção do timming adequado a suas comunicações. Indaga-se sobre as defesas usadas por eles, dissociação, negação, indiferença afetiva, como recursos conseguidos, ainda que muito precários, para a manutenção de uma organização psiconeurótica e que, como tais, devem ser cuidadosamente abordados (AU)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Olympia Ferreira França, Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP)

Psicanalista, membro docente da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP)

Referências

DRUMMOND DE ANDRADE, C. Antologia poética. Rio de Janeiro: Record, 2011.

ANDRÉ, J. (2001). Entre angústia e desamparo. Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, v. 4, n. 2, p. 8. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S1516-14982001000200008 >.

DEUTSCH, H. (1991). The therapeutic process, the self, and female psychology. New Brunswick, NJ: Transaction Publishers, 1992.

FRANÇA, M. O. (1999). O inexorável da dor humana junto ao processo analítico. Revista Brasileira de Psicanálise, v. 33, n. 3, p. 555-372.

. (2007). Expressões fenomenológicas da indiferença afetiva. In: O afeto vincular primário como fundante psíquico. (Apresentado no Congresso Brasileiro de Psicanálise, em 2009).

. (2009). Desafios clínicos nos tempos atuais. Apresentado no Congresso Interno da SBPSP, Araçatuba, 2009. No prelo.

FREUD, S. (1926 [1925]). Inibição, sintoma e angústia. In. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. v. 20. Rio de Janeiro: Imago. 1969. p. 107.

. (1950[1895]). Projeto de uma psicologia. Rio de Janeiro: Imago, 1995. 32 p. Tradução e comentários de Osmyr Faria Gabbi Jr.

ROCHA, Z. (1999). Desamparo e metapsicologia: para situar o conceito de desamparo no contexto da Metapsicologia freudiana. Síntese Revista de Filosofia. Belo Horizonte, v. 26, n. 86, p.331-344.

WINNICOTT, D. W. (1975). O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, p. 153-154.

Publicado

2012-08-01

Como Citar

França, M. O. F. (2012). As duas vias do desamparo: uma contribuição clínica. Revista De Psicanálise Da SPPA, 19(2), 415–430. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/559

Edição

Seção

Artigos