A adolescência e seus trabalhos: a homo está na moda

Autores

  • Julieta Paglini Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre / International Psychoanalytical Association
  • Silvia Tulián

Palavras-chave:

adolescência, identidade sexual, cultura

Resumo

As autoras consideram alguns dos trabalhos psíquicos com os quais os adolescentes se veem enfrentando, tais como a reapropriação do corpo, a saída exogâmica, a definição da sexualidade. Ambas se perguntam sobre o processamento pulsional, inscrições e reinscrições psíquicas em que se desafiam as identificações em alguns pacientes adolescentes nos quais algo da atuação da sexualidade está em jogo. Apresentam vinhetas clínicas de adolescentes mulheres, nas quais definir uma identidade (nestes casos, homossexual) talvez tome a cor de uma fuga que tranquiliza e, ao mesmo tempo, obstrui qualquer interrogação sobre elas mesmas e a particular incerteza adolescente. O particular é esse “sem dúvidas”, sem maiores questionamentos. Admiram-se dessa urgência definitória e, basicamente, da preeminência da atuação sobre a fantasia. Se indagam se se trata de falhas na repressão ou simplesmente que o jogo erotizado deu passo à ação erótica na qual não medeia o temor nem a repulsa, próprios de um estilo funcional de outros momentos fantasmáticos no conjunto. Outra pergunta que se formulam: que influência exerce, na constituição do psiquismo, a particularidade da cultura de cada época? E este atuar tem consequências para a sexualidade adulta? Supõem que este trânsito por um tempo especular de alguma maneira inscreve um modo de relação no qual o casal heterossexual, tal qual o conhecemos, tende a perder-se.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-08-29

Como Citar

Paglini, J., & Tulián, S. (2017). A adolescência e seus trabalhos: a homo está na moda. Revista De Psicanálise Da SPPA, 24(2), 279. Recuperado de https://revista.sppa.org.br/RPdaSPPA/article/view/313

Edição

Seção

Artigos