Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

A vulnerabilidade no/do analista

Cristina Rosas de Salas

Resumo


O interesse por analisar o tema da vulnerabilidade desde a perspectivado analista surge da frequência com que, em cada um dos debates, oexame das intervenções do analista é ressaltado, colocando emreconsideração a neutralidade e a ética que as sustenta. Já nãoescandaliza que se postule um inconsciente não reprimido, mas nemsempre se questiona como ele se faz presente nas intervenções realizadaspelo analista, o que me levou a postular que, além de uma ética do desejo,seria necessário pensar em uma ética da criação de representações naanálise. Esta é a linha de trabalho que se propõe aqui. Fazem-se precisõesmetapsicológicas com relação à hipótese de que o que demanda o analistaa partir do heterogêneo o confronta com seus próprios limites, com seusaspectos mais vulneráveis, que são referidos ao mais além de seu capitalrepresentacional. Analisa-se o tema das identificações e da desmentidae se propõem possíveis vias de reelaboração do que se denomina oheterogêneo.

Palavras-chave


desmentida, identificação, ideologia, psicanalista, instituição psicanalítica.

Texto completo:

PDF

Referências


Assun, J. (2001). El perjuicio y el ideal. Hacia una clínica social trauma. (Cap. 1-4), Buenos Aires: Nueva Visión.

Baranger, W. & Baranger, M. (1993). Problemas del campo psicoanalítico (Cap. 7), Buenos Aires: Kargieman.

Green, A. (1993). El trabajo de lo negativo (Cap. 3), Buenos Aires: Amorrortu.

Green, A. (1995). El lenguaje en psicoanálisis (Pt. 2), Buenos Aires: Amorrortu.

Leclaire, S. (1994). Un encanto nuevo. In El país del otro. D.F./Guadalajara: Siglo XXI México, pp. 19-42.

Moliner, M. (2007). Diccionario de uso español (Tomo 2), Madri: Gredos.

Pontalis, J-B. (1982). No, dos veces no. Intento de definición y de desmantelamiento de la «Reacción terapéutica negativa». Revista de la APA, 3(4).

Saer, J.J. (2012). El concepto de ficción. Buenos Aires: Seix Barral.

Tatian, D. (2012a). Lo impropio. Buenos Aires: Excursiones.

Tatian, D. (2012b). Debates. Mi libertad empieza donde empieza la libertad del otro. Diario Página 12. Recuperado de < http://www.pagina12.com.ar/diario/principal/index.html>.

/05 /2012

Viñar, M. (2012). Tensión tradición- invención. Revista Calibán, 1(1).

Viñar, M. (2011). De la torre de Babel a los sueños fundadores. Revista da APA, 68(2-3).

Vigan, D. de (2013). De la fragilidad como punto de apoyo. Reportaje Silvina Friera. Diario Página 12. Recuperado de < http://www.pagina12.com.ar/diario/principal/index.html>.

/11/2013.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v21i2.160

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br