Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

Noção de cura em Bion: contribuições à clínica psicanalítica

Edilene de Lima

Resumo


A ideia de cura em psicanálise é controversa e de difícil discussão. Da forma como é entendida no modelo médico tradicional, a cura parece não ser apropriada para se avaliarem os resultados do processo psicanalítico e para dimensionar as mudanças que ocorrem no paciente, na medida em que há nela algo de normativo e ideológico. Este trabalho pretende examinar essa ideia e o processo psicanalítico de uma maneira menos médica e mais psicanalítica, em textos selecionados da obra de Wilfred Ruprecht Bion (1897-1979). Neste artigo comentam-se alguns elementos teórico-clínicos, tais como parte psicótica e não psicótica da personalidade, dor mental, desenvolvimento do pensar, capacidade negativa, sem memória e sem desejo e, a partir disso, apresenta-se uma síntese da noção de cura no autor. Vai-se, então, examinar ideias como tornar o inconsciente consciente, alcançar fantasias primitivas, desenvolver a capacidade de pensar e expansão mental.


Palavras-chave


Bion, psicanálise, cura, terapia psicanalítica.

Texto completo:

PDF

Referências


Bion, W. R. (1952). Experiências com grupos: os fundamentos da psicoterapia de grupo. (Tradução de Walderedo Ismael de Oliveira). Rio de Janeiro: Imago; São Paulo, Ed. da Universidade de São Paulo, 1975.

______. (1962). O aprender com a experiência. (Tradução de Jayme Salomão e Paulo Dias Corrêa). Rio de Janeiro: Zahar, 1966.

______. (1963). Elementos de psicanálise. (Tradução de Jayme Salomão; revista por Ester Hadassa Sandler e Paulo Cesar Sandler) (2ª ed.). Rio de Janeiro: Imago, 2004.

______. (1965). Transformações: do aprendizado ao crescimento. (Tradução de Paulo Cesar Sandler). (2ª ed.) Rio de Janeiro: Imago, 2004.

______. (1967). Estudos psicanalíticos revisados (second thoughts). (Tradução Wellington M de Melo Dantas) Rio de Janeiro: Imago, 1994.

______. (1970). Atenção e interpretação. (Tradução de Paulo Cesar Sandler) (2ª ed.). Rio de Janeiro: Imago, 2006.

Bléandonu, G. (1993). Wilfred R. Bion: a vida e a obra, 1897-1979. (Tradução de Laurice Levy Hoory e Marcella Mortara). Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1937). Análise terminável e interminável. In S. Freud Obras completas. (Tradução: Jayme Salomão). Rio de Janeiro: Imago. Vol. 23, p. 239- 287. 1969.

Herrmann, F. (1991). Clínica psicanalítica: a arte da interpretação. São Paulo: Brasiliense.

Houaiss, A.; Villar, M. S. & Franco, F. M. M. (2001). Dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

Lima, E. (2012) A noção de cura em Bion: do desvelamento do inconsciente à expansão mental. Maringá: Universidade Estadual de Maringá – UEM. Dissertação.

Rezende, A. M. (1995) Wilfred R. Bion: uma psicanálise do pensamento. Campinas: Papirus.

Zimerman, D. E. (2001) Vocabulário contemporâneo de psicanálise. Porto Alegre: Artmed.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v21i1.83

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br