Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

O analista trabalhando: sonhando Santiago

Lidia Neves Campanelli, Paulo de Moraes Mendonça Ribeiro, Silvana Mara Lopes Andrade

Resumo


Este texto constitui-se num exercício psicanalítico de correlação teórico-clínica. É apresentada uma sessão de análise considerada difícil para o analista, ou seja, na qual os recursos técnicos usualmente disponíveis são sentidos como não dando conta do recado. Partindo das indagações formuladas pelo analista a respeito dos fatos emocionais vivenciados pela dupla analítica, são tecidos dois comentários independentes sobre o encontro, ampliando os possíveis vértices de observação analítica. No primeiro comentário, intitulado O menino, a autora enfatiza os ricos elementos visuais e emocionais presentes nas falas do analisando e nas rêveries do analista, enfatizando sua natureza fundamental nos processos do sonhar (Bion, 1962). Para ilustrar suas reflexões, traz associações com Menino, personagem do livro Primeiras estórias de Guimarães Rosa. No segundo comentário, intitulado O desafio de trabalhar a partir da cesura, a autora observa a movimentação da dupla pelo vértice da cesura (Bion, 1977) e propõe reflexões a fim de explorar os fenômenos que se apresentaram na situação analítica objetivando ampliar as perspectivasde observação clínica. Destaca a importância do exercício reflexivo como oportunidade para afinarmos nossos instrumentos analíticos, enfatizando a importância da capacidade de apreensão da vivência clínica do analista para trabalhar a partir da cesura.


Palavras-chave


cesura, correlação teórico-clínica, sonho, rêverie.

Texto completo:

PDF

Referências


Braga, J. C. (2003). O alucinatório na prática clínica: aproximando algumas questões. In Panorama (pp. 225-251). São Paulo: Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo.

______. (2012). As experiências emocionais do analista como fio condutor nos labirintos da mente multidimensional. Trabalho apresentado em reunião cientifica da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Ribeirão Preto, em 12 de maio de 2012.

Bion, W. R. (1962). Learning from experience. London: Karnac, 1984.

______. (1965). Transformações: do aprendizado ao crescimento. Rio de Janeiro: Imago, 2005.

______. (1970). Atenção e interpretação. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

______. (1977). Cesura. Revista Brasileira de Psicanálise, 15:123-136, 1981.

______. (1992). Cogitações. Rio de Janeiro: Imago, 2000.

Ferro, A. (1995). A técnica na psicanálise infantil. Rio de Janeiro: Imago, 1995.

Franco Filho, O. M. (2001). Transformações e cesura I. In M. O. de A. França, M. da C. I. Thomé & M. Petricciani (Orgs.). Transformações e invariâncias: BION – SBPSP: Seminários

paulistas. São Paulo: casa do Psicólogo.

Godo, C. (1996). O tarô de Marselha. São Paulo: Pensamento-Cultrix.

Buarque, C. (1993). Futuros amantes. In W. Homem, Histórias de canções: Chico Buarque/Wagner Homem. São Paulo: Leya, 2009.

Ogden, T. H. (1997). Reverie and interpretation. In Reverie and Interpretation. London: J. Aronson.

______. (2005). Esta arte da psicanálise: sonhando sonhos não sonhados e gritos interrompidos. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Perrini, E. A. L. (2009). Uma aproximação ao mundo dos conteúdos oníricos e a cesura. Revista Brasileira de Psicanálise, 43 (3), 71-79.

Picasso, P. (1905). O acrobata e o jovem arlequim. Recuperado em fevereiro de 2014 em http://www.barnesfoundation.org/collections/art-collection/object/5878/acrobat-and-young-harlequinacrobate-

et-jeune-arlequin

Rosa, J. G. (1962). Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.

Shakespeare, W. (1606). O rei Lear. Porto Alegre: L & PM Pocket, 2011.

Theotokópoulos, D. [El Greco]. (1608-14). A abertura do quinto selo do apocalipse. New York: Metropolitan Museum of Arts. Recuperado em fevereiro de 2014 em http://www.metmuseum.org/Collections/search-the-collections/436576

Winnicott, D. W. (1958). Da pediatria à psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Ed. Imago, 2000.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v21i1.69

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br