Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito ou Pago

Sobre o mal e a destrutividade: a relevância das contribuições de André Green

Cláudio Laks Eizirik

Resumo


O autor parte de algumas manifestações de artistas e pensadores que refletiram sobre expressões do mal e da destrutividade e examina as principais contribuições de André Green sobre o tema. Desde sua análise do porquê do mal, em 1988, até seus últimos trabalhos, observa-se um fio condutor que vai progressivamente destacando a centralidade da pulsão da morte e suas ideias sobre a interiorização do negativo e a cultura do negativo. Por fim, o autor menciona sua própria evolução sobre o tema e destaca alguns aspectos da pessoa de André Green e de sua formidável contribuição à psicanálise.

Palavras-chave


mal; destrutividade; pulsão de morte; André Green

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, C. D. A. (1963). Antologia poética. Rio de Janeiro: Ed. do Autor.

Arendt, H. (1995). O sistema totalitário. Alfragide: Dom Quixote.

Baranger, W. & Baranger, M. (1961). La situación analítica como campo dinâmico. Revista Uruguaya de Psicoanálisis, 4(1), 3-54.

Baudelaire, C. (1984). As flores do mal. São Paulo, Abril Cultural.

Freud, S. (1920). Além do princípio do prazer. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

Green, A. (1988). Pourquoi le mal? In: La folie privée. Paris : Gallimard, 1990.

______. (1992). La déliaison. Paris: Les Belles Lettres.

______. (2000). El tiempo fragmentado. Buenos Aires: Amorortu, 2002.

______. (2007). Pourquoi les pulsions de destruction et de mort? Paris: Panama.

______. (2010). Illusions et désillusions du travail psychanalytique. Paris: Odile Jacob.

______. (2011). Les cas limites. De la folie privée aux pulsions de destruction et de mort. Revue Française de Psychanalyse, 75.

Knijnik, J., Rispoli, A., Tofani, A., Mello, C., Rubim, L., Pacheco, M. & Eizirik, C. L. (2012).

Baluarte, surpresa e comunicação no campo analítico. Revista Brasileira de Psicanálise, 46(1), 150-161.

Racker, H. (1957). Psicoanálisis del espiritu. Buenos Aires: Nova APA.

Shakespeare, W. ([1608]). Macbeth. London: Penguin Books, 1994.

Urribarri, F. (2012). André Green: a clínica contemporânea e o enquadre interno do analista (entrevista realizada por Fernando Urribarri). Revista Brasileira de Psicanálise, 46(3), 215-229.

Welles, O. (Dir.) (1948). Macbeth (filme). Los Angeles; Paris: CBS Studio Center. 92 min.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Revista de Psicanálise da SPPA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação em fluxo contínuo | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) ISSN 1413-4438 (versão impressa) | Qualis B1 (Psicologia)
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br