Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito ou Pago

O Conceito de "limite" para André Green – um modelo metapsicológico para pacientes fronteiriços

José Martins Canelas Neto

Resumo


O psicanalista francês André Green apresentou contribuição teórica muito útil à Psicanálise com sua reflexão ao longo de décadas sobre a problemática dos chamados casos limite (“borderlines”). No presente artigo, o autor se propõe a transmitir a construção do pensamento de Green sobre os limites da psique, reflexão necessária para constituir uma metapsicologia dos limites e esclarecer muitos aspectos do funcionamento psíquico e do trabalho psicanalítico com esses pacientes. A noção freudiana de clivagem, assim como muitas ideias de Winnicott e Bion são articuladas de maneira muito consistente para dar origem a essa metapsicologia. As angústias de perda e de intrusão marcam a relação transferencial-contratransferencial com esses indivíduos. O desenvolvimento dos chamados “processos terciários” durante o tratamento aparece como muito importante na tentativa de aumentar o campo psíquico da representação. Por fim, o autor retoma a reflexão desenvolvida por Green sobre o pensamento em Psicanálise a partir dessa clínica.


Palavras-chave


limite; clivagem; casos-limite; André Green; pensamento

Texto completo:

PDF

Referências


Bion, W. (1957). Differentiation of the psychotic from the non-psychotic personalities. In Bion, W. Second thoughts. Londres: Heinemann, 1967, pp.43-64.

Donnet J.-L. & Green A. (1973). L’enfant de ça. Pour introduire la psychose blanche. Paris : Minuit.

Freud, S. (1895). Esquisse d’une psychologie scientifique. In Freud, S. La naissance de la psychanalyse. Paris : PUF, 1986, pp.313-396.

______. (1924). Neurose e psicose. In Freud, S. Obras completas, vol. 16 (Tradução de Paulo César de Souza). São Paulo: Companhia das Letras, 2011, pp. 176-183.

______. (1925). La négation. In Résultats, idées, problèmes, (Vol. 2). Paris : PUF, 1987.

______. (1938a). Le clivage du Moi dans le processus de défense. In Freud, S. Oeuvres complètes, (Vol. 20). Paris : PUF, 2010, pp.219-224.

______. (1938b). Abrégé de psychanalyse. In Freud, S. Oeuvres complètes, (Vol. 20). Paris : PUF, 2010, pp.225-305.

Green, A. (1974). Chap. II – L’analyste, la symbolisation et l’absence dans le cadre analytique. In La folie privée. Paris : Gallimard, 1990, pp. 63-102.

______. (1976). Chap.III – Le concept de limite. In La folie privée. Paris : Gallimard, 1990, pp. 103-140.

______. (1979). Chap. IX – Le silence du psychanalyste. In La folie privée. Paris : Gallimard, 1990, pp. 317-346.

______. (1982). Chap. VIII – La double limite. In La folie privée. Paris : Gallimard, 1990, pp. 293-316.

______. (2002). La pensée clinique. Paris : Éditions Odile Jacob, 2002.

Klein, M. (1946). Notes sur quelques mécanismes schizoides. In Dévelopments de la Psychanalyse. Paris : PUF, 1966, pp.274-300.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Revista de Psicanálise da SPPA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação em fluxo contínuo | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) ISSN 1413-4438 (versão impressa) | Qualis B1 (Psicologia)
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br