Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

A consciência e a não consciência do ódio – uma conquista e uma catástrofe

Luisa Maria Rizzo

Resumo


O artigo aborda alguns dos principais aspectos da concepção winnicottiana sobre a agressividade, seus desdobramentos na teoria do amadurecimento, indo ao encontro das origens do sentimento de ódio. A originalidade desse aporte sobre o ódio revela uma mudança paradigmática, na medida em que Winnicott entende sua origem não como inata, conforme a psicanálise tradicional, mas como uma conquista necessária para alcançar a saúde psíquica. A autora escolhe três vértices para embasar o desenvolvimento desta temática: o papel do ambiente na constituição do psiquismo, as origens da agressividade e o status do objeto winnicottiano. Apresenta as ideias originais apresentadas por Winnicott em seu importante artigo de 1947, o Ódio na contratransferência. Ilustra-as com uma vinheta clínica.

Palavras-chave: Winnicott, agressividade, destrutividade, ódio, relações de objeto.

 

Awareness and unawareness of hate – a conquest and a catastrophe

The paper discusses some of the main aspects of Winnicott’s concept of aggressiveness and its implications for the theory of maturation, in seeking the origins of the feeling of hate. The originality of this contribution on hate reveals a paradigmatic change, inasmuch as Winnicott conceives its origin not as innate, as argued by traditional psychoanalysis, but as a necessary conquest in attaining psychical health. The author adopts three perspectives in developing this topic: the role of the environment in the constitution of psychism, the origins of aggressiveness and the status of the Winnicottian object. The author presents the original ideas introduced by Winnicott in his important paper from 1947, Hate in the countertransference, and illustrates them with a clinical vignette.

Keywords: Winnicott, aggressiveness, destructiveness, hate, object relations.

 

La conciencia y la no conciencia del odio: un logro y una catástrofe

En este artículo se abordan algunos de los principales aspectos de la concepción winnicottiana sobre la agresividad, sus desdoblamientos en la teoría de la maduración, en una búsqueda de los orígenes del sentimiento de odio. La originalidad de ese aporte sobre el odio representa un cambio paradigmático en la medida en que Winnicott, a diferencia del psicoanálisis tradicional, entiende su origen no como innato, sino como un logro necesario para alcanzar la salud psíquica. La autora sigue tres ejes para basar el desarrollo de esa temática: el papel del ambiente en la constitución del psiquismo, los orígenes de la agresividad y el estatus del objeto winnicottiano. Presenta la ideas originales presentadas por Winnicott en su importante artículo de 1947, El odio en la contratransferencia. Las ilustra posteriormente con una viñeta clínica.

Palabras clave: Winnicott, agresividad, destructividad, odio, relaciones de objeto.

 

 


Palavras-chave


Winnicott; agressividade; destrutividade; ódio; relações de objeto

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v24i3.335

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br