Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

Uma fugaz primavera em agosto

Raul Hartke

Resumo


Resumo

Valendo-se do relato de uma sessão analítica, o autor ilustra e discute a importância fundamental da oscilação permanente entre conhecer e tornar-se a experiência emocional em desenvolvimento na relação analítica, nos moldes propostos por Bion. Propõe também que os fenômenos vigentes na sala de análise constituem uma propriedade emergente do par analítico. Assim, são sempre transubjetivos. Sua observação e trabalho analítico como fenômenos subjetivos (do analisando ou do analista) ou do par analítico dependem de um ato de distinção realizado pelo analista (ou pelo analisando) que, em cada caso, gera um fenômeno diferente.

Palavras-chave: relação analítica, intersubjetividade, experiência emocional, interpretação.


Palavras-chave


relação analítica; intersubjetividade; experiência emocional; interpretação

Texto completo:

PDF

Referências


Baranger, M. & Baranger, W. (1969). Problemas del campo psicoanalítico. Buenos Aires: Kargieman, p. 260.

Bion, W. R. (1961). Experiences in groups. New York: Basic Books.

Bion, W. R. (1962). Learning from experience. In Seven servants – four works by Wilfred R. Bion. New York: Jason Aronson, 1977.

Bion, W. R. (1965). Transformations. In Seven servants – four works by Wilfred R. Bion. New York: Jason Aronson, 1977.

Bion, W. R. (1970). Attention and interpretation. In Seven servants – four works by Wilfred R. Bion. New York: Jason Aronson, 1977.

Bion, W. R. (1971). The grid. In Two papers: The grid and caesura. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

Bohr, N. (1958). Essays 1933-1957 on atomic physics and human knowledge. In The philosophical writings of Niels Bohr, (Vol. II, pp. 83-93). Woodbridge, Connecticut: Ox Bow.

Ferro, A. (1995). A técnica na análise infantil. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1917). XVI. Conferencias de introducción al psicoanálisis (parte III) (1916-1917). In Obras completas, (Vol. 16). Buenos Aires: Amorrortu, 1984.

Gullar, F. (2010). Desordem. In Em alguma parte alguma, (pp. 26-30). Rio de Janeiro: José Olympio.

Hartke, R. (2013). Psychological turbulence in the analytic situation. In Levine, H. B. & Brown, L. J. (Eds.), Growth and turbulence in the container/contained. Bion’s continuing legacy (pp. 131-147). London, New York: Routledge.

Hartke, R. (2016). Mental states and emotional relations in the analytic setting: implications for therapeutic work. In Levine, H. B. & Civitarese, G. (Eds.), The W. R. Bion Tradition - Lines of development – Evolution of theory and practice over the Decades (pp. 121-139). London: Karnac.

Maturana, H. R. & Varela, F. J. (1984). A árvore do conhecimento. As bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001.

Ogden, T. (1994). Subjects of analysis. Northvale, New Jersey, London: Jason Aronson.

Varela, F., Thompson, E. & Rosch, E. (1991). The embodied mind. Cambridge: MIT.

Winnicott, D. W (1968). O jogo do rabisco. (Squiggle game). In Winnicott, C., Shepherd, T., Davis, M. (Eds.). Explorações psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.




Revista de Psicanálise da SPPA  |  ISSN 1413-4438  |  ISSNe 2674-919X  | RPdaSPPA no Google Scholar

Classificação Qualis: B2 Psicologia

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/802 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3228-7583 | E-mail: revista@sppa.org.br