Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

Construção narrativa: o processo interpretativo diante de uma situação traumática

Maria Cecilia Pereira da Silva

Resumo


Neste trabalho descrevo um recorte da análise de Joaquim, um menino de oito anos, que, embora cronologicamente na latência, iniciou o processo analítico num estado muito imaturo e perturbado. Procuro mostrar como a participação da analista na construção narrativa das temáticas inconscientes das sessões permitiu tanto a elaboração de uma situação traumática com uma progressiva possibilidade de representar compartilhado, quanto a reconstituição do tecido psíquico.


Palavras-chave


construção narrativa; representação; latência; situação traumática.

Texto completo:

PDF

Referências


Alvarez, A. (1989). Development toward the latency period: splitting and the need to forget in borderline children. J. Child Psychoterapy, 15(2), 71-83.

Bion, W. R. (1962a). Aprendiendo de la experiencia. México: Paidós, 1991.

______. (1962b). Una teoría del pensamiento. In Volviendo a pensar. Buenos Aires: Hormé, 1990, p. 151-64.

Bokanowski, T. (2005). Variações do conceito de traumatismo: traumatismo, traumático, trauma. Revista Brasileira de Psicanálise, 39(1), 27-38.

Carignani, P. (2000). A falsa calma da latência. São Paulo: SBPSP, 2000.

Etchegoyen, A. (1993). La latencia: una reconsideratión. In Libro anual de psicoanálisis. (Vol. 9, pp. 21-32).

Ferrari, A (1996). Adolescência - o segundo desafio: considerações psicanalíticas. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Ferro, A. (1995). A técnica na psicanálise infantil. Rio de Janeiro: Imago.

______. (2000). Narrações e interpretações. In A psicanálise como literatura e terapia. Rio de Janeiro: Imago.

Klein, M. (1952). Algumas conclusões teóricas relativas à vida emocional do bebê. In Obras Completas de M. Klein: volume III - Inveja e gratidão e outros trabalhos. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

Meltzer, D. (1979). La relación del autismo con los mecanismos obsesivos en general. In D. Meltzer, et al. Exploración del autismo: un estudio psicoanalítico. Buenos Aires: Paidós.

Sandler, E. H. (1998). Notas sobre a análise de um menino no período da latência. São Paulo. Apresentado na SBPSP, São Paulo (15 ago.1998).

Silva, M. C. P. (1999). Introjeção da função analítica: um esboço a partir da clínica. Revista Brasileira de Psicanálise, 33(2), 267-282.

______. (2003). A herança psíquica na clínica psicanalítica. São Paulo: Casa do Psicólogo, FAPESP.

______. (2007). Identificação mórbida: comunicação transgeracional traumatizante. Revista de Psicanálise da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre, 14(1), 137-165.

Winnicott, D. W. (1951). Textos selecionados: da pediatria à psicanálise. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.

______. (1963). Medo do colapso. In C. Winnicott, R. Shepherd & M. Davis, Explorações psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

______. (1971). Therapeutic consultations in child psychiatry. London: Hogarth / Institute of Psychoanalysis. New York: Basic Books.

______. (1990). Natureza humana. Rio de Janeiro: Imago.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v19i3.17

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br