Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

Reflexões acerca da violência, pósmodernidade e transformações nos processos de subjetivação

David Leo Levisky

Resumo


O autor parte da relevância qualitativa e quantitativa da formação dosvínculos afetivos para o desenvolvimento das atividades representacionaisdo psiquismo. Signos, símbolos, significados e significantes sãodeterminados pela ação recíproca sujeito-família-cultura. A vida relacionalcontém a cultura e nela intervém graças à criatividade humana e suasmúltiplas linguagens na constituição dos processos de subjetivação. Sãoprocessos psíquicos complexos que sofrem transformações e mutaçõesem diferentes velocidades. As características simbólicas da modernidadee da pós-modernidade são analisadas em seus aspectosrepresentacionais. Destas transformações surgem questõesmetapsicológicas consequentes às mudanças impostas ao ego, superego,ideal de ego, mecanismos de defesa, estrutura narcísica, funçõesperceptivo-cognitivas. O autor sugere a existência de processosequivalentes aos lutos vividos pelos adolescentes com desinvestimentose reinvestimentos dos significados e dos significantes necessários parasua adaptação às novas circunstâncias existenciais individuais e coletivas.

Palavras-chave


representação simbólica, cultura, vínculos, aparelho psíquico, subjetivação, violência, pós-modernidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Attali, J. (2007). Amours: histoires des relations entre les hommes et les femmes. Paris: Fayard.

Barbery, M. (2011). A elegância do ouriço. São Paulo: Companhia das Letras.

Bauman, Z. (1999). Ensaios sobre o conceito de cultura. Rio de Janeiro: Zahar.

Carr, N. (2011). O que a internet está fazendo com nossos cérebros: a geração superficial. Rio de Janeiro: Ed. Agir.

Cyrulnik, B. (2003). Resiliência: essa inaudita capacidade de construção humana. Porto: Instituto Piaget.

Ferreira, A.B.H. Novo dicionário da língua portuguesa, 1ª Ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1975 p. 899.

Freud, S. (1930). El malestar en la cultura. In S. Freud, Obras completas. Madrid: Editorial Biblioteca Nueva,3:3017- 3067, 1973.

Le Goff, J. (1980). Time, work and culture in the Middle Ages. Chicago: University of Chicago Press.

Levisky, D.L. (1997, 13 de maio). Adolescência e violência: uma sociedade carente de pai e mãe. Jornal Folha de São Paulo. Caderno Cidade.

Levisky, D.L. (2004). Um monge no divã: a trajetória de um adolescer na Idade Média Central. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Levisky, D.L. (2012a). O hiper-realismo interfere na produção da Fantasia?, Rev. Alter de estudos Psicanalíticos,30:83-94, Brasília.

Levisky, D.L. (2012b). Tendências antissociais: teorias e práticas preventivas a partir do conceito de espaço transicional. In I. Sucar & H. Ramos, Winnicott: ressonâncias. São Paulo: Primavera Editorial.

Minerbo, M. (2013). Ser e sofrer, hoje. Ide (São Paulo) Psicanálise e cultura, 35(55): 31-42.

Souza Martins, J. (2014, 12 de janeiro). Jaz em paz: ressentimentos oportunistas. In Jornal o Estado de São Paulo, Aliás, p. E3.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v21i2.161

Direitos autorais

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br