Acesso Livre Acesso Livre  Acesso restrito Acesso Restrito

A interpretação hoje: reflexões

Fulgêncio Blaya Perez Neto

Resumo


Neste trabalho, o autor faz um retrospecto, ao longo da história dapsicanálise, da trajetória desta importante arma do arsenal psicanalíticoque é a interpretação, dando maior ênfase ao formato e significado atuaisdeste instrumento.

Palavras-chave


interpretação, tradução, criatividade, história.

Texto completo:

PDF

Referências


Baranger, M. (1992). La mente del analista: de la escucha a la interpretación. Revista de Psicoanálisis, 49(2): 223-237.

Baranger, M., Baranger, W. & Mom, J. (1982). Proceso y no proceso en el trabajo analítico.

Revista de Psicoanálisis, 39(4): 527-549.

Barros, E. M. R. (1989). Melanie Klein: evoluções. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro.

Bion, W. R. (1963). Elements of psychoanalysis. Londres: Heinemann.

Bion, W. R. (1970). Atención e interpretación. Buenos Aires: Paidós.

Britton, R & Steiner, J. (1994). Interpretação: fato selecionado ou ideia superestimada. Livro

Anual de Psicanálise, 10: 105-114.

Caper, R. (1996). Realidade psíquica e interpretação da transferência. IDE, 29: 42-49.

Cooper, A. (1987). Changes in psychoanalytic ideas: transference interpretation. J. Am.

Psychoanal. Ass., 35(1): 77-98.

Etchegoyen, H. (1987). Fundamentos da técnica psicanalítica. Porto Alegre: Artes Médicas.

Favalli, P. H. (1999). O campo psicanalítico: considerações sobre a evolução do conceito.

Revista Latino-Americana de Psicanálise, 3(1): 23-46.

Ferro, A. (1998). Na sala de análise: emoções, relatos, transformações. Rio de Janeiro: Imago.

Freud, S. (1900). A interpretação dos sonhos. In Edição standard brasileira das obras

psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 4, pp. 103-129). Rio de Janeiro:

Imago, 1976.

Freud, S. (1911). O manejo da interpretação de sonhos na psicanálise. In Edição standard

brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 12, pp. 121-127).

Rio de Janeiro: Imago, 1976.

Freud, S. (1917). Luto e melancolia. In Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 14, pp. 270-291). Rio de Janeiro: Imago, 1976.

Grinberg, L., Sor. D. & Bianchedi, E. T. (1991). Nueva introducción a las ideas de Bion. Madrid: Tecnipublicaciones.

Klein, M. (1960a). Contribuições à psicanálise. São Paulo: Mestre Jou, 1981. Klein, M. (1960b). Psicanálise da criança. São Paulo: Mestre Jou, 1982.

Meltzer, D. (1967). O processo psicanalítico da criança ao adulto. Rio de Janeiro: Imago, 1971.

Meltzer, D. (1996). Meltzer em São Paulo: seminários clínicos. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Meltzer, D. (1997). El proceso psicoanalítico: veinte años después, el marco del encuentro analítico y la recolección de la transferencia. In Sinceridad y otros trabajos (pp. 483-488). Buenos Aires: Spatia.

Ogden, T. H. (1996). O conceito de ação interpretativa. In Os sujeitos da psicanálise (pp. 103-132). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Racker, E. (1967). Psychoanalytic life history. In Dimensions of psychoanalysis, 1989.

Racker, H. (1958). Sobre técnica clássica e técnicas atuais da psicanálise. In Estudos sobre técnica psicanalítica (pp. 36-55). Porto Alegre: Artes Médicas, 1982.

Rosenfeld, H. (1971). Impasse e interpretação. Rio de Janeiro: Imago, 1988.

Spillius, E. B. (1994). Sobre a formulação do fato clínico ao paciente. Livro Anual de Psicanálise, 10: 145-157.

Steiner, J. (1991). Interpretações centradas no paciente e centradas no analista: algumas implicações da “continência” e da “contratransferência”. Revista Brasileira de Psicanálise, 26 (3): 409-424, 1992.

Vollmer Filho, G. (1994). A conceitualização do fato clínico psicanalítico. Livro Anual de Psicanálise, 10: 95-103.

Winnicott, D. W. (1968) A interpretação na psicanálise. In Explorações psicanalíticas (pp. 163-166). Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

Zac, J. (1971). Como se originan las interpretaciones en el analista. Revista de Psicoanálisis, 29: 217-152.

Zimerman, D. E. (1995). Bion: da teoria à prática clínica. Porto Alegre: Artes Médicas.




DOI: https://doi.org/10.5281/sppa%20revista.v21i3.144

Direitos autorais 2014

Revista de Psicanálise da SPPA | Publicada desde 1993 (1988-93 com o nome de Arquivos de Psicanálise da SPPA)

Publicação Quadrimestral | ISSN 1413-4438 (versão impressa) | ISSNe 2674-919X (versão eletrônica) | Qualis: B2 Psicologia
 
INDEXADORAS:
LILACS | Biblioteca Virtual da Saúde (OPAS - BIREME)
CLASE | Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (Universidad Nacional Autónoma de México - UNAM)
Scholar | Google Acadêmico

Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre

Rua General Andrade Neves, 14/402 | 90010-210 | Porto Alegre, RS, Brasil | Fone +55 (51) 3224-3340 | WhatsApp (51) 9 8487-0158 | E-mail: revista@sppa.org.br